Está pensando em empreender na área da beleza? Não é uma tarefa fácil, mas separamos algumas dicas para te ajudar. Confira no artigo!

Empreender na área da beleza: e aí você está pronto?

Se você pensa em empreender, já se perguntou o que é preciso para fazê-lo?

Com uma infinidade de informações, fica muitas vezes difícil saber por onde começar ou se está devidamente preparado. Por isso, além da capacitação técnica, é fundamental que você se analise e perceba se possui condições para tal.

Um empreendedor busca oportunidades, tem iniciativa, faz as coisas antes de ser solicitado ou forçado pela situação, sabe correr riscos, avalia, calcula e planeja a fim de minimizá-los, exige qualidade e oferece qualidade, busca eficiência, aplica valores justos e transparentes em seus produtos e serviços e age com persistência (atenção, não confunda persistência com teimosia). Não fica apontando culpados ou reclamando da crise, ao contrário, age nessas situações fazendo um esforço pessoal extraordinário para completar uma tarefa ou fazer o que necessita ser feito, transformando a crise em OPORTUNIDADE.

Se você se identifica com essas características, sim, possui enormes chances de enfrentar o desafio de empreender.

Em específico na área de beleza, este mercado fantástico, por onde começar?

A – Buscar por oportunidades : Quais as características que são um diferencial?

Se você é um bom profissional, seja de cabelo, manicure, maquiador ou afins procure desenvolver seu projeto por aí – parta da sua especialidade e busque um local que favoreça esse diferencial, tanto pela localização, pela proximidade de seus clientes ou de clientes em potencial.

B – Qual o risco a correr? Aqui começa o planejamento

-Pesquise do que precisará para adequar, equipar e legalizar esse local;

-Qual o estoque inicial para desenvolver a atividade;

-Tempo (o empreendedor não tem um horário fixo de trabalho, pois o que é para ser feito necessita ser feito)

C- Quanto custa para funcionar ?

Aluguel, água, luz, contador, funcionários, impostos …sim, há os impostos 🙁

D – Quanto custa para faturar ?

Todo faturamento tem custo, a comissão de quem fez, a taxa do cartão, o imposto e os custos de produtos que você usa para trabalhar. Exemplo:

A Pizza inteira é seu faturamento; A fatia vermelha são os custos diretos do seu faturamento, ou seja, o que você precisa para faturar, a comissão do profissional, os produtos utilizados, o imposto e até a comissão do cartão de crédito e débito para você cobrar o cliente.

Leia também: Ticket médio: afinal, o que é e como calcular?

O espaço que sobra é o Lucro Bruto, onde você irá encaixar todas as outras despesas fixas que você tem, independente de faturar ou não, como: pessoal CLT, aluguel, sua retirada, entre outras e o que sobra, aí sim, seu lucro Líquido.

Por isso falamos em ponto de equilíbrio – quanto temos que faturar para que depois de eu pagar as despesas geradas por esse faturamento (comissão de quem fez, o imposto do governo, a taxa do cartão e os produtos usados) sobre para pagar as contas do salão e o do empreendedor.

O que acontece nos primeiros meses é que, como o faturamento está em formação, o que sobra dele para contribuir em pagar aluguel, pessoal (custos fixos) e as demais despesas, é pouco ou nada. A verdade é que na maioria dos casos, você ainda injete capital ao seu negócio.

Exemplo:

Se o seu aluguel é R$ 1.500,00 e seu faturamento é R$ 15.000,00 a fatia verde (aluguel – Infraestrutura) é de 10 % como na figura 1.

Caso o seu faturamento seja de R$ 10.000,00 a fatia verde (aluguel) será de 15% como na figura 2. E a de pessoal e outras fixas que você tenha, também proporcionalmente têm percentual maior, pesam mais, porque você ainda fatura pouco, espremendo seu lucro até ele “pular” para fora da pizza.

Por isso, o controle de despesas e o planejamento de instalação é tão importante, pois é na operação que você vai ganhar dinheiro. Os produtos, comissões, impostos e taxas de cartão, enfim, os custos diretos, tendem a ser parecidos, não possuindo diferenças tão significativas. Assim, é com o uso de boas práticas que você vai conseguir um diferencial e ter uma vantagem competitiva.

Jorge Paulo Lemman, brasileiro e um dos homens mais ricos do mundo – e que por sinal tive a honra de trabalhar em seu Banco, o Garantia, que foi uma escola para mim – nos diz que, ao montar uma empresa, o primeiro profissional que ele contrata é um controller, ou seja, um profissional especializado no controle financeiro e de orçamento.

Com essa ação, o que ele nos ensina é a não subestimar o poder do dinheiro. Por isso, faça o planejamento e exerça o controle do financeiro de cada real que você gasta e ganha desde o inicio, não importa o quanto o negócio é pequeno, nem que seja num caderno. Isso o ajudará a não se distrair de seus objetivos em meio as inúmeras demandas e tentações do mercado.

Busque informação como está fazendo ao ler este blog, pesquise, faça perguntas e busque formação.

Conhecendo a si próprio, agindo com equilíbrio emocional, exercendo o controle financeiro e estabelecendo parcerias reais com seus fornecedores, equipe e clientes, certamente empreender será um desafio estimulante e enriquecedor em todos os sentidos.

 

No canal da Negócios e Beleza tem mais vídeos e dicas que podem te ajudar a ter um SSR-Salão super rentável.

Faça comentários, assine o canal, sugira pautas para discutirmos aqui, até á próxima.

Conheça nossos cursos e consultorias em nosso site.

 

Faça comentários, assine o canal, sugira pautas para discutirmos aqui, até á próxima!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
error: Conteúdo protegido