Vamos aos fatos, por que tantos salões fecham as portas? Dados do IBGE mostram que das empresas abertas em 2011 60% já fecharam. Como nos preparar?

Por que tantos salões e empresas fecham as portas?

Vamos aos fatos, por que tantos salões fecham as portas?

Dados do IBGE mostram que das empresas abertas em 2011, 60% já fecharam e não são apenas salões de beleza, barbearias ou esmalterias, é no geral mesmo.

O pico foi em 2014, como alertamos em vídeos e newsletter do mesmo ano sobre o início da crise.

Principais causas:

Se olharmos os dados do DataSebrae entre as principais causas, temos:

  • Falta de clientes (16%);
  • Falta de capital (16%);
  • Falta de conhecimento (12%);
  • Mão de obra (10%);
  • Impostos e tributos (10%).

Com isso vemos que são causas de falta de planejamento e preparo. Essas causas são abordadas em nosso curso 5 chaves do sucesso. (Layout, Clientes, Equipe, Serviços, Gestão).

1ª Falta de clientes (16%)

A causa “falta de clientes” é abordada em duas (2) das 5 chaves de sucesso.

Na chave LAYOUT, é importante que se escolha um ponto onde haja uma concentração demográfica de nossos clientes alvo.

Já na chave CLIENTES, focar o negócio em 4 perguntas básicas de Kotler: QUEM, ONDE, O QUE e QUAIS.

Quem são os clientes? Descrever o perfil de quem vamos atender.

Onde estão os clientes? Os clientes do perfil escolhido onde se concentram?

O que gostam de fazer? Quais os hábitos e preferências deles e o que vou oferecer.

Quais os valores de um salão para esse cliente? Se estou num grande centro financeiro como a Avenida Paulista em São Paulo, fazer uma escova e uma mão em 50 minutos tem mais valor que ficar sendo paparicado com prosecco, suco, massagens etc, pois ele tem uma reunião em seguida. Muitas vezes o cliente é o mesmo, mas em momentos e com valores diferentes.

2º Falta de capital (16%)

Planejamento da chave GESTÃO.

A gestão começa antes de abrir o negócio, não podemos iniciar achando que ele vai dar lucro no primeiro mês.

Todo o negócio precisa de tempo para amadurecer e crescer, por isso precisamos saber o custo operacional do negócio e o ticket médio da região para negócios equivalentes ao nosso, assim saberemos quantos atendimentos necessitaremos e se ponto que iremos escolher tem densidade de clientes potenciais para nos sustentar.

3º Falta de conhecimento (12%)

Todo e qualquer negócio tem suas particularidades. Uma consultoria e um blog como o nosso e outros, servem para o empreendedor consultar, tirar dúvidas e estudar os riscos.

Falamos de GESTÃO aqui também. Qualquer coisa que vamos nos colocar em risco, e isso é inerente aos negócios e à vida, é preciso fazermos planos para as intercorrências que possam haver.

Em negócios de beleza, temos particularidades de serviços que dependem de relações humanas e devemos levar em conta.

Na chave CLIENTES, temos que os escolher e nos preparar para que estes nos reconheçam só de olhar para a fachada.

Na chave LAYOUT e na chave EQUIPE, prestarmos um serviço para que estes clientes reconheçam valor, e desejem voltar.

4º Mão de obra (10%)

A chave EQUIPE é muito particular em nosso setor por ser uma atividade de multi conhecimento técnico, de pessoalidade e inteligência emocional.

Entretanto, a falta de mão de obra técnica é conhecida no Brasil em todos os setores.

Não saber disso é falta de planejamento e conhecimento o 3º item (falta de conhecimento).

A EQUIPE também deve se alinhar ao perfil do cliente.

Não adianta contratar equipes prontas, pois do mesmo jeito que se pode “tirar” uma equipe de um salão, alguém pode fazer o mesmo. Falamos um pouco disso no artigo Profissional Estrela.

5º Impostos e tributos (10%)

Tributos e impostos, principalmente para empresas do simples são bem previsíveis e podem ser calculados e planejados antes mesmo de abrimos o negócio.

Mas quando falamos do famoso “Risco Brasil”, devaneios de alguns governos das três esferas atrapalham um pouco, para ser simpático; e por favor, aqui falo da máquina pública e não de partidos.

Falo de mudanças de regras, inclusão de taxas, contribuições muitas delas derrubadas e pacificadas pela justiça.

Mas, continuando a ser cobradas no famoso “se passar passou”, acabam gerando gastos desnecessários.

Só o conhecimento de advogados, contadores e consultores específicos conseguem desvencilhar o empreendedor dessa falta de clareza (para dizer o mínimo).

Todos erramos. A EXPERIÊNCIA que tiramos do erro é a diferença

Você errou?

Parabéns, bem vindo ao grupo. E, se por acaso, alguém vier com uma história de que ele ou você não vão mais errar, CORRA e muito.

Eu já errei, já quebrei e já me levantei.

Portanto, não se culpe, aprenda que nossos erros são nossos melhores professores, isso ao longo da vida é chamado de EXPERIÊNCIA.

Faça comentários, assine nossa newsletter para receber em primeira mão os artigos e sugira pautas para discutirmos aqui.

Até ao próximo artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Scroll to top
error: Conteúdo protegido